quinta-feira, 8 de maio de 2014

-Às Vezes.


Boa noite viajantes assíduos ou não, aqui vos fala novamente aquela que só quer ser... às vezes nem isso quer.

Às vezes o amor vence
Às vezes a dor se sobressai
Às vezes a solidão é sua amiga
E às vezes seu pior pesadelo.

Tem momentos em que a beleza do caos se propaga
Inunda a imundície da superfície e faz com que acreditemos
Que subestimemos quem realmente somos e podemos ser
E que nos joga no chão sem força e sem reação

O pior sentimento é a impotência
Querer fazer algo para mudar o mundo e não conseguir
Não conseguir nem salvar sua própria alma quanto mais a de todos
Não conseguir respirar ou seguir em frente.

Às vezes sorrir é mais difícil do que pode parecer.

O turbilhão de pensamentos que te arrastam para as profundezas
Os medos escancarados na sua cara
A vontade de pular desse trem em movimento para se salvar,
Para fugir dos resultados, dos problemas e das verdades

Às vezes continuar não é tão fácil como dizem.

A escuridão estará sempre a sua volta
Se esgueirando pelas brechas que deixar em aberto
Se aconchegando nas lágrimas que rolarem soltas por seu rosto
Vivendo cada dia ao seu lado, como sua melhor amiga.

Às vezes é difícil enxergar o lado bom das coisas.

O tempo passa e nada parece diferente
Todos se acertam, se conquistam e você ai
Na estagnação da sua última conquista, 
Sem previsão de uma nova vitória, sem esperanças.

Às vezes a solução não te trás respostas, só mais perguntas.

Câmbio Desligo.